sábado, 4 de agosto de 2007

"Hasta cuando"


O Regime mais provocatório do Ocidente está em risco de se desmoronar.

O homem que ergueu o último reduto comunista do Ocidente à porta dos Estados Unidos da América, caiu doente há um ano e foi obrigado a ceder o poder ao irmão, Raúl.
O mundo pergunta-se quanto mais tempo de vida sobrará ao octogenário Fidel Castro?
E se com a sua morte terminará também o modelo de poder construído à sua medida?

Um governo que garante saúde e educação gratuitas, mas que no reverso da medalha priva o seu povo de liberdade: política e económica.
Dois repórteres da RTP foram à procura da sociedade cubana, desenhada minuciosamente durante cinco décadas à imagem de Fidel Castro e do seu plano político.
Um plano revolucionário que Che Guevara eternizou como uma fórmula válida «Hasta Siempre».
Quase cinquenta anos depois da Revolução que levou Fidel ao poder, os ideais de Che deram lugar à desilusão. Em muitos corações cubanos palpita hoje um sentimento diferente. Se o médico argentino que se converteu num ícone mundial não tivesse sido assassinado há precisamente 40 anos na guerrilha boliviana, os cubanos mais corajosos provavelmente sussurrar-lhe-iam: «Hasta Cuando»?
A Fidel não podem. O Regime proíbe!
Uma grande reportagem de Sandra Felgueiras e Bruno de Jesus

(clique para ver:)
mms://195.245.176.20/rtpfiles/videos/auto/especiais/cuba_20070802.wmv

1 comentário:

Elsa disse...

Sem dúvida uma reportagem muito interessante e que, principalmente, nos deixa a pensar na forma de vida daquelas pessoas sem liberdade absolutamente nenhuma para algo tão simples como a sua opinião ou até mesmo a compra de bens de primeira necessidade.
"Hasta Nunca"

Bjokas maninho