quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Der Kuß

Há palavras que nos beijam
Como se tivessem boca.
Palavras de amor, de esperança,
De imenso amor, de esperança louca.

Palavras nuas que beijas
Quando a noite perde o rosto;
Palavras que se recusam
Aos muros do teu desgosto.
De repente coloridas
Entre palavras sem cor,
Esperadas inesperadas
Como a poesia ou o amor.

(O nome de quem se ama
Letra a letra revelado
No mármore distraído
No papel abandonado)

Palavras que nos transportam
Aonde a noite é mais forte,
Ao silêncio dos amantes
Abraçados contra a morte.

Alexandre O’Neill



Um beijo... intenso, romântico, terno
uma obra para se apaixonar!

Já li de tudo sobre esta obra e não entendo o porquê de se querer dissecar todos os possíveis pormenores que o autor possa ter querido transpor neste “Beijo”.
Nao me cabe a mim interpretar??

Entre outras coisas, ...há quem por aí afirme que a mulher não esta receptiva ao beijo. A intenção do homem é puramente sexual, e a mulher simplesmente não esta para aí virada. Que o facto de ter a boca fechada quer dizer que não está de todo receptiva, ...

POR FAVOR!!!!!!!
Mas o que importa isso??

O quadro é magnífico!!!
Permitam-me que o veja como um beijo doce, belo, terno, romântico, ...
Permitam-me que veja aqui um abraço que salva a sua amada de cair num precipício ...
Um beijo é isto!

2 comentários:

FLI disse...

Opiniões?! Diferentes prespectivas?! Existe alguma interpretação de uma obra de arte neste mundo que possa ser unica e exclusivamente professional e fria? Arte é sensibilidade, refinamento, introspecção...

Na minha modesta opinião, revejo-me neste quadro.
Um abraço intemporal nos braços de quem se ama.

Ela, reclinada para sentir o calor do corpo dele, irreverente nos padrões do tecido nos quais está envolvida.

Ele... procura o beijo, procura abarcar a cara dela com a suas mãos esguias para que sinta que partilham um só momento. Um só espaço temporal.

Um simples beijo, na minha opinião, entre duas pessoas que se amam e que partilham algo de único e avassalador.

MaB disse...

Gosto muito o quadro. Tenho uma imitação (em cartolina), no meu quarto. Comprei-a em Madrid, enquanto estive em Erasmus...e fez-me muita companhia.
Àparte o colorido da ilustração, confio que o beijo seja recíproco. A vontade dos dois é comum. Ela apoia as duas mãos nele, e confia-se-lhe:)